ana_cristina_haja_manha.jpg
celeste_martins_cais_da_gilao.jpg
ruben-silva-acordar-na-gilao.jpg
fernando_jose_coliseu_da_musica.jpg
jorge_sampaio_do_lado_de_ca.jpg
sergio_goncalves_ontem_hoje_do_fado.jpg
lilia_martins_clube_magico.jpg

Podemos continuar a confiar nos medicamentos genéricos?

Versão para impressão PDF

DECO - Delegação Regional do AlgarveCONSULTÓRIO DO CONSUMIDOR / DECO

"Podemos continuar a confiar nos medicamentos genéricos?”

A DECO INFORMA…

Foram detectadas falhas nos procedimentos dos ensaios clínicos de bioequivalência da empresa indiana GVK Biosciences. Não está comprovado que os problemas coloquem em causa a qualidade, a segurança e a eficácia dos produtos. Mas, no seguimento da recomendação da Agência Europeia do Medicamento, o Infarmed retirou 20 genéricos do mercado nacional. Se utiliza um desses medicamentos, indicados na nossa página online, consulte o seu médico ou farmacêutico para saber qual a alternativa.

Antes de entrar no mercado, é preciso demonstrar a equivalência terapêutica dos genéricos. Assim, são feitos ensaios de bioequivalência, que servem para provar que a absorção do princípio activo para o sangue é semelhante ao medicamento inovador. Esses ensaios são realizados em voluntários saudáveis e seguem determinados procedimentos. Foi a esse nível que os problemas foram identificados. Durante uma inspecção feita à GVK Biosciences, a agência francesa do medicamento percebeu que os registos de electrocardiograma não cumpriam as chamadas Boas Práticas Clínicas.

Esses exames não são essenciais para demonstrar a bioequivalência dos medicamentos, apenas permitem acompanhar o estado saudável dos voluntários antes e durante os ensaios. Daí não se tratar da eficácia ou segurança dos medicamentos - até porque a empresa em causa não produz os genéricos, apenas realiza os ensaios clínicos para a indústria farmacêutica.

Podemos continuar a confiar nos medicamentos genéricos, uma vez que a Agência Europeia do Medicamento e as autoridades nacionais trabalham em conjunto para garantir que todos os medicamentos comercializados no espaço europeu cumprem a legislação e as normas aplicáveis, mesmo que isso implique a fiscalização de entidades fora do espaço europeu.

Neste caso, as autoridades de saúde demonstraram eficácia no exercício das funções de fiscalização do mercado. A Comissão Europeia está, entretanto, a avaliar a situação, para decidir se os medicamentos devem voltar e permanecer no mercado.

DECO-Delegação Regional do Algarve

Emissão em Directo (player 1)

Emissão em Directo (player 2)

Facebook Rádio Gilão

Contacte-nos

Largo de Santa Ana nº 1 - Tavira

 

8800-701 TAVIRA

 

Tel: +351 281 320 240

 

Fax: +351 281 325 523

 

Email: radiogilao@net.vodafone.pt

Siga-nos

facebook twitter instagram
youtube linkedin

Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiência como utilizador. Para saber mais sobre os cookies que usamos e como apaga-los, consulte nossa Politica de cookies.

Aceitar cookies deste site.