ana_cristina_haja_manha.jpg
celeste_martins_cais_da_gilao.jpg
ruben-silva-acordar-na-gilao.jpg
fernando_jose_coliseu_da_musica.jpg
jorge_sampaio_do_lado_de_ca.jpg
sergio_goncalves_ontem_hoje_do_fado.jpg
lilia_martins_clube_magico.jpg

A resistência aos antibióticos: um perigo para a saúde pública.

Versão para impressão PDF

DECO - Delegação Regional do AlgarveCONSULTÓRIO DO CONSUMIDOR / DECO

"A resistência aos antibióticos: um perigo para a saúde pública.”

A DECO INFORMA…

Para denunciar a prescrição desnecessária de antibióticos, e a sua venda sem receita, a DECO realizou um estudo sobre esta matéria que tanto influi sobre a saúde pública.

Para o exame, a Associação contou com colaboradores que assumiram o papel de cliente mistério e visitaram 120 farmácias e unidades de saúde aleatoriamente escolhidos, na Grande Lisboa e Grande Porto.

A dor simulada foi a de garganta, traduzida num mero incómodo a engolir e sem febre ou outros sintomas.

Nas 50 consultas médicas, os profissionais observaram a garganta dos alegados doentes e procuraram inteirar-se dos sintomas associados. Porém, 20 receitaram um antibiótico. Nos restantes 30 casos, os utentes questionaram, sem insistir, se seria apropriado tomar um daqueles fármacos, tendo apenas um recebido a prescrição, mas com a indicação de que só deveria usá-lo se piorasse.

Nos estabelecimentos farmacêuticos, a situação mostra-se menos preocupante: dos 70 visitados e nos quais foi pedido um antibiótico sem receita médica, apenas um o dispensou. Todas as outras farmácias recomendaram essencialmente analgésicos e anti-inflamatórios, e algumas alertaram para a necessidade de consultar o médico, em caso de persistência ou agravamento do estado de saúde.

Embora o cenário se mostre mais positivo relativamente a estudo semelhante que publicámos em 2007, em que 12% das farmácias aviaram antibióticos sem receita, e 57% dos médicos prescreveram aqueles medicamentos para a dor de garganta, é ainda preocupante.

A utilização excessiva ou incorrecta de antibióticos acelera o aparecimento e a propagação de bactérias. Por essa razão, urge tomar medidas para penalizar os profissionais de saúde que prescrevam receitas contra a legis artis, mas também sensibilizar os consumidores para a necessidade de respeitarem as instruções médicas sobre a forma adequada de tomar os antibióticos.

DECO-Delegação Regional do Algarve

Emissão em Directo (player 1)

Emissão em Directo (player 2)

Facebook Rádio Gilão

Contacte-nos

Largo de Santa Ana nº 1 - Tavira

 

8800-701 TAVIRA

 

Tel: +351 281 320 240

 

Fax: +351 281 325 523

 

Email: radiogilao@net.vodafone.pt

Siga-nos

facebook twitter instagram
youtube linkedin

Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiência como utilizador. Para saber mais sobre os cookies que usamos e como apaga-los, consulte nossa Politica de cookies.

Aceitar cookies deste site.