ana_cristina_haja_manha.jpg
celeste_martins_cais_da_gilao.jpg
ruben-silva-acordar-na-gilao.jpg
fernando_jose_coliseu_da_musica.jpg
jorge_sampaio_do_lado_de_ca.jpg
sergio_goncalves_ontem_hoje_do_fado.jpg
lilia_martins_clube_magico.jpg

Qual a melhor forma de usar cartões de crédito?

Versão para impressão PDF

DECO - Delegação Regional do AlgarveCONSULTÓRIO DO CONSUMIDOR / DECO

"Qual a melhor forma de usar cartões de crédito?”

A DECO INFORMA…

Inicialmente apenas atribuídos a consumidores com elevados rendimentos, os cartões de crédito tornaram-se, hoje em dia, um acessório comum dentro de qualquer carteira.

A crise financeira veio expor as fragilidades do sistema financeiro e, desprovidas de rendimentos pelo aumento do desemprego, muitas famílias tentaram fazer face às despesas do dia-a-dia com recurso a estes cartões e foram apanhadas na teia do sobreendividamento.

Segundo dados do Banco de Portugal, as dívidas de cartão de crédito originam 40% dos casos de incumprimento e de renegociação de contratos de crédito ao consumo. Contudo, hoje em dia a avaliação é mais exigente e os limites de créditos mostram-se mais reduzidos.

Quanto ao consumidor, a melhor forma de usar estes cartões sem promover a acumulação de dívidas é usufruir do período de crédito sem juros, de 20 a 50 dias, e pagar os extractos na totalidade.

Caso receba um cartão que não tenha pedido, certifique-se de que lhe interessa e as condições são vantajosas. Não se preocupe, visto que o cartão chega inactivo e, para utilizá-lo, tem de pedir ao emissor que o active. Se não estiver interessado, pode até destruí-lo.

Se não pretender pagar as despesas na totalidade, deverá escolher o cartão com a TAEG mais baixa. No entanto, desaconselhamos este tipo de utilização devido às elevadas taxas de juro que, na maioria dos casos, ultrapassa os 20%.

Em 2010, a legislação passou a limitar as TAEG que podem ser cobradas em cartões de crédito. No entanto, os tectos legais apenas se aplicam aos contratos posteriores a 2010. Se descobrir que o seu cartão exige uma taxa superior ao limite legal, que pode ser consultada no Portal do Cliente Bancário, apresente queixa no livro de reclamações da instituição de crédito. A taxa será considerada usurária e a instituição condenada a cobrar apenas metade do limite máximo definido.

DECO-Delegação Regional do Algarve

Emissão em Directo (player 1)

Emissão em Directo (player 2)

Facebook Rádio Gilão

Contacte-nos

Largo de Santa Ana nº 1 - Tavira

 

8800-701 TAVIRA

 

Tel: +351 281 320 240

 

Fax: +351 281 325 523

 

Email: radiogilao@net.vodafone.pt

Siga-nos

facebook twitter instagram
youtube linkedin

Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiência como utilizador. Para saber mais sobre os cookies que usamos e como apaga-los, consulte nossa Politica de cookies.

Aceitar cookies deste site.