ana_cristina_haja_manha.jpg
celeste_martins_cais_da_gilao.jpg
ruben-silva-acordar-na-gilao.jpg
fernando_jose_coliseu_da_musica.jpg
jorge_sampaio_do_lado_de_ca.jpg
sergio_goncalves_ontem_hoje_do_fado.jpg
lilia_martins_clube_magico.jpg

Tenho verificado que os custos da minha conta à ordem têm aumentado. Esta prática é corrente?

Versão para impressão PDF

DECO - Delegação Regional do AlgarveCONSULTÓRIO DO CONSUMIDOR / DECO

"Tenho verificado que os custos da minha conta à ordem têm aumentado. Esta prática é corrente?"

A DECO INFORMA…

Uma centena de euros é, em números redondos, quanto custa, anualmente ter uma conta no banco.

Aqui e ali, o banco vai cobrando comissões sob os mais variados pretextos: pelo processamento da prestação do crédito à habitação, pela emissão de cheques, emissão de um cartão Multibanco, pelo cartão de crédito, ou simplesmente porque o cliente fez uma transferência interbancária, mesmo que tenha recorrido à internet para a concretizar.

Por quase tudo aquilo que já pagava ao banco em 2007, antes de a última crise ter invadido o País, agora paga ainda mais.
O principal agravamento ocorre nas comissões de manutenção aplicadas aos clientes com contas à ordem. De entre os bancos que as praticam, e para um saldo médio até 1000€, estes encargos variam entre os 49,92€ e os 104,00€.

Na verdade, são poucos os bancos que estão em conformidade com a lei que entrou em vigor em outubro e que proíbe a cobrança de comissões quando o banco não associa a prestação de um serviço à despesa. Ora, aplicar comissões pela simples existência de uma conta – sem a qual o cliente não pode contratar outros produtos comercializados pela instituição –, viola a lei.
Torna-se, assim, fundamental que o Banco de Portugal defina o que entende por “serviços efetivamente prestados”.

O setor bancário tem justificado as subidas de preços com a necessidade de compensar a quebra de receitas a que está sujeito desde que a União Europeia limitou a cobrança de taxas aos comerciantes pela utilização de terminais de pagamento com cartões. No entanto, estas alterações tinham como objetivo gerar ganhos para o consumidor.

A banca entende agora que tem de ser compensada, embora os aumentos já estivessem a acontecer em anos anteriores. Concluímos, pois, que longe vão os tempos em que ter uma conta à ordem era sinónimo de juros a multiplicar o saldo depositado.

DECO-Delegação Regional do Algarve

Emissão em Directo (player 1)

Emissão em Directo (player 2)

Facebook Rádio Gilão

Contacte-nos

Largo de Santa Ana nº 1 - Tavira

 

8800-701 TAVIRA

 

Tel: +351 281 320 240

 

Fax: +351 281 325 523

 

Email: radiogilao@net.vodafone.pt

Siga-nos

facebook twitter instagram
youtube linkedin

Utilizamos cookies no nosso website para melhorar o desempenho e a sua experiência como utilizador. Para saber mais sobre os cookies que usamos e como apaga-los, consulte nossa Politica de cookies.

Aceitar cookies deste site.